I Love Dog!

Eu assumo! Eu já tive um objeto que fazia cocô e xixi na minha casa!

Não sei se você consegue perceber o que eu quis dizer com isso. Eu já objetivei um cão em um momento da minha vida! E precisei de quase 20 anos para aprender com tudo isso.

Nossa ideia não é de julgamento é de exaltação.

Para mim foi lindo descobrir o que era realmente amar um cão.

Descobrir que existe uma ligação muito maior do que ostentar seu cãozinho de raça em um passeio.

Muito mais do que ter um guarda no seu quintal.

Muito além de um canil barulhento.

Pode existir sim amor de verdade entre o homem e o cão.

Tudo bem se isso não é tão óbvio para você, e em alguns momentos você pense: “É só um animal!” ou “É só um cachorro”

Como eu disse, relaxa, eu também já pensei assim, até a Melzinha surgir na minha vida!

Hoje, digo que foi um presente que ganhei quando decidi casar com a minha atual esposa. Apesar de ela não ser fruto de uma antiga relação da minha companheira, ela foi a Cãotiada que me ensinou o verdadeiro Amor de um cão pelo seu dono, e claro fui muito inspirado pela minha esposa.

Mas vou confessar que não foi do nada! Minha ficha caiu que estava rolando sentimento entre eu e a Melzinha..rs Quando ela ficou presa no nosso banheiro.

Imagina, você chegar em casa, ao invés de você receber aquele latido caloroso de quem estava com muita saudade, só conseguíamos ouvir uma espécie de choro, grito. Minha esposa entrou em estado de nervos,instintivamente a tirou do banheiro, caiu no chão abraçando-a, até que ela se acalmasse.

Vendo tudo isso, primeiro de tudo, meu coração apertou demais, fiquei pensando:
– Quanto tempo ela está presa nesse banheiro? Ela tentou escavar o ralo, então o banheiro estava como se tivesse todo lameado.
–Ela deve ter ficado desesperada?! Será que se machucou? Será que ela achou que nunca mais voltaríamos?!

Neste dia a única coisa que consegui fazer, foi levar minhas duas meninas para deitar dentro do quarto, com o ar-condicionado geladinho, e cheguei a conclusão com a minha esposa: – Esse apê é muito pequeno para ela, vamos mudar o quanto antes!

Enquanto procurávamos um lugar melhor para morar, a Mel passou um tempo na casa da minha sogra.

Agora eu que sentia falta da Melzinha todos os dias, e já estava difícil, poder vê-la só a cada 15 dias.

Hoje não tem jeito. Basta eu sair por alguns minutos, tipo ir a padaria, que quando eu volto é sempre aquela recepção calorosa, como eu nunca tinha vivido na minha vida.

A conclusão que tiro de tudo isso é que quando o amor pelo cão bate! Não adianta, é AMOR! Agora, já não a chamo só de Mel, e sim de MINHA FILHA! ❤

Conheça nossa estampa inspirada na nossa história, acesse nosso site:
https://www.benditoser.com.br/amor-estampado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close